Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma mulher feliz

Diário de uma mulher feliz

14 de Dezembro de 2020

Querido diário,

quase à dois meses que não te escrevo. Admito que vivi num corrupio que o consegui arranjar tempo para mim. E só esta madrugada que antecede algo que me assusta e me tira o sono, ironicamente, encontrei tempo para te escrever. Para um café á porta de casa sozinha, para compor algumas mensagens para amigos, para ouvir música e um podcast.

A saúde é o nosso maior, ou dos maiores privilégios que temos na vida. Ela pode condicionar tudo. Aliás este ano de 2020 é isso mesmo, a figuração de como uma doença muda o mundo. E não, não estou (por agora) infectada com covid mas já há muito tempo que fisicamente não me sentia bem e ganhei coragem para ir ao médico. Chegaram os resultados das analises e apesar de leiga na matéria, os valores comparativos de alguns "itens" PARECEM-ME maus. Pus tudo em causa. Agora que tudo estava a alinhar-se. Que o trabalho que pedi ao Universo estava á porta mas que sem saúde será complicado de concretizar. 

Mas como disse, parecem, pode não ser nada. Só amanhã, se conseguir consulta é que saberei.

No meio de todas estas confusões consegui ter quase duas semanas de férias numa aldeia desértica perto de Viseu. Só nós, a lareira, o rio e as caminhadas. Foi revigorante. Vimos a neve cair pela primeira vez. Tivemos longas conversas á lareira e longos silêncios reconfortantes. É declaradamente o homem da minha vida. <3

Saímos de lá ainda mais coesos. Vou deixar aqui algumas fotografias.

Estarei mais por aqui. (Perdoa-me)

M

 

IMG-20201204-WA0012.jpg

IMG-20201204-WA0025.jpg

IMG-20201201-WA0003.jpg

IMG-20201128-WA0081.jpg

IMG-20201130-WA0027.jpg

IMG-20201201-WA0016.jpg

 

26 de Outubro de 2020

Querido diário,

a vida ensinou-me que o que é bom pode demorar. Como um longo encontro de lábios. Mas também me instruiu que poderá chegar como um relâmpago numa árvore solitária no nosso centro. Começará a a arder e alastra por toda a floresta. Por toda a vida.

Podia mentir dizendo que me sinto infeliz por profissionalmente estar parada. Mas vivenciar este amor não me dá espaço para mágoas. Claro que me sinto desconfortável e por isso estou na luta. Mas tenho uma chama acesa de fé, que ninguém rouba, ninguém tira.

Quando acreditamos muito acaba por acontecer. Pois inconscientemente o nosso corpo reage e luta para que consigamos. 

Encontros de alma, acredito que sejam raros, mas sei que encontrei o homem da minha vida. Vejo naqueles olhos cor de horizonte. E são os impulsionadores, junto a mim, da minha garra.

Quando me diz "já te disse que te amo hoje?" Tudo se alinha e a vida é tão mais fixe!

É porreira não é?

 

IMG_0435.JPG

(Nós sem filtros. Simplesmente nós.)

20 de Setembro de 2020

B02FC9E5-3A17-498F-A78C-9C16C4E2D3E7.jpeg

 

Querido diário,

sem dúvida o amor resgata-nos. Seja qual o tipo de amor que for! 

A madrugada de sexta foi terrível para mim. Desci ao lado mais negro de mim, raspei as paredes, berrei a Deus! Pedi a morte em silêncio enquanto ele me olhava com ternura. 

Não encontro uma resposta. Ou melhor, existem várias hipóteses que não estou preparada para partilhar! A verdade é que o Paulo esteve ao meu lado até eu cair exausta e de lágrimas no rosto.

Sermos vulneráveis ao pé de quem amamos é um ato de coragem. Não tenham dúvidas. Mas ser vulnerável ao lado dele, quase, pela primeira vez. Deixou-me insegura. Absolutamente perdida por um sábado que passei a curar a dor. Passei-o a dormir ao lado dele, quando não era esse o combinado. Mas mais uma vez a sua inteligência emocional fê-lo ficar a contemplar-me enquanto dormia da dor.

Quando finalmente repus energias só tive vontade de o tocar e sentir. Um fervor que não sei de onde veio mas que sarou qualquer ferida que eu tinha. Um amor milenar, como já referi. 

Ele é a minha pessoa, estou em casa. Dia 1000000000000♥️✨

M

 

 

07 de Setembro de 2020

8F45D125-A729-40C1-8998-C9B95A80D381.jpeg

 

Querido diário, 

isto de ser “o diário de uma mulher feliz” engloba também estes dias. Dias em que o sol brilha lá fora, aquece-nos e quase nos derrete mas por dentro está um nadinha desarrumado.

Estar desarrumado não significa que não seja feliz, estar um pouco desorganizado diz-me que já esteve organizado e por um espaço pequeno de tempo eu o arrumarei. 

Ser feliz dá trabalho. Aliás, na minha opinião dá mais trabalho que ser triste. Eu já fui integralmente triste, já atravessei poços escuros de depressões (acho que me dá o direito de falar). 

Estar deitada a chorar desgasta mas estar de pé, roupa engomada e olhar para a frente custa tão mais quando o coração quer voltar para aquela horizontalidade. 

Ter a percepção destes dois mundos que vivem dentro de mim é um domínio imenso é incrível que adquiri á pouco tempo. Saber que estar triste não é o estado em que vou ficar , mas uma transição, alenta-me.  

Hoje não estou triste, estou ansiosa. O calor, situações familiares e uma noite mal dormida. Um cocktail para umas horas mais complicadas. Como sempre recorri á meditação para acalmar o peito e obviamente, que ajuda. O Paulo também é um querido e a minha “Rocha”. Ouve-me, melhor, escuta-me. Estas semanas que estamos a passar juntos têm sido, como já verbalizei, muito importantes para o nosso crescimento enquanto casal. Enquanto equipa, como brincamos por vezes. Ele é lindo. E um dos alicerces! 

Diário, continuo por aqui.

M

 

04 de Setembro de 2020

33542586-723C-4ED2-8507-FC1264BD23EF.jpeg

 

Querido diário,

hoje pensava, como apesar dos sobressaltos ( no fundo mínimos), eu não estava a dar o devido valor ao que estava a acontecer em mim e na minha vida.

Com patologias associadas e uma vida sempre muito negativa (numa especial destrutiva). Consegui chegar ao equilíbrio. Ponto de comer um gelado sem culpa. Um gelado cheio de chantilly, numa Lisboa ainda linda na sua noite. Como aceitei o meu corpo, ou vou aceitando (finalmente) como veículo de interligação com o Universo. Como é divido e precioso. Como em dois meses culminou uma luta de mais de 15 anos. Por vezes precisamos de um empurrão do destino para a frente. 

Agora trabalho, namoro, sou filha, irmã, amiga, namorada. Sou eu para mim. EU para mim. Como já disse beijo de língua. Abraço de arco. Rio até chorar e choro até rir. Rezo, porque o poder da gratidão para mim é dos maiores. 

Descanso em jardins e aproveito o Verão que está de despedida mas como tudo é cíclico, um dia voltará. Mas ainda cá está! Vive o momento querida! Não é assim meu diário? 

Hoje rezei. Acho que não me dirigia a Deus á muito. Agradeço. As palavras feias que me dirigem e me fazem ser maior, as frases bonitas que enchem o meu peito de flores e as pessoas, as pessoas porque sem pessoas não somos nada. A caminhada não se faz sozinho, querido diário. A caminhada é um percurso lado a lado com outros! Num percurso encantador. Porque a dose de dor que a vida causa meu querido, é na mesma medida do prazer. Sei-o! 

M

03 de Setembro de 2020

15D79F57-9F2B-4C00-B103-E842E7DEC282.jpeg

 

Querido diário,

coloquei uma intenção no Universo e quero muito acreditar nela! Aliás eu acredito. Por isso saí de casa. Sem pudor quanto às minhas tatuagens, num vestido que as denunciava uma a uma. Saí para ler um pouco e pegar nos raios do sol que me aqueciam a nuca.

Hoje ridicularizei opiniões de quem se vê no escuro e pensa que ele está nos outros. Não que seja motivo de escárnio! Não é. É triste. Mas como ajudar quem não quer melhorar? Quem acha que assim é que se está bem?

Hoje beijei de língua. Abraçei de arco. Olhei até ao fígado, passei, claro, pelo coração. 

Amei e fui totalmente amada. Agradeci e fui acarinhada. Sonhei e fui resgatada. 

Hoje ouvi dizer que Setembro é o mês dos recomeços. Foi o mês do recomeço dele. Também o meu pois caminhamos lado a lado. Em zonas diferentes mas com o mesmo caminho lá bem ao fundo da nossa visão. 

Hoje respirei fundo e não é que acreditei? 

Bem-vindo Setembro querido♥️

 

16 de Agosto de 2020

DEFBB5F9-AC3B-4EE9-9AD6-FB900C6BBBE8.jpeg

 

Querido diário bom dia ☀️,

volto a não vir aqui à algum tempo. Sabes como sou, por vezes ocupo tanto a minha vida que pouco tempo me resta, perdoa-me!

Tenho tido dias de descoberta. Afastar-me do que é o meu “habitat natural” tem-me ajudado a por as coisas em perspectiva.

Meu querido, ontem sai do cinema por volta das 21, e atravessei o Campo Grande a pé e a cantarolar e descalça! Esta é a Marta que poucos conhecem. Que não faço questão que aprovem mas que se está a descobrir. Uma Marta com menos peso.

Fomos beber um copo á esplanada, levamos com os raios de sol no rosto enquanto falamos de como está a ser esta experiência, com dias limitados, em Lisboa. E o que pensávamos que ia ser difícil tornou-se leve, fluido e até, diria, natural. A mãe do Paulo é um encanto e deixa-me além do avontade. Estamos a criar um elo de amizade muito saudável. É uma lutadora e uma mulher do mundo. 

Fomos ver ao cinema “A impossibilidade de estar só”. Achei muito bonita a fotografia, as paisagens da costa Alentejana! Lindo. A música também. Não achei o argumento muito invulgar mas gostei no todo. E como tinha saudades do cinema. E éramos só nós❤️😂 

Bem meu querido diário, vou tentando dar mais notícias! 

M

 

 

A Bella

Querido diário,

a Bela foi adoptada, vi hoje no Facebook. Comovi-me! Aquela eléctrica menina... Os animais são seres dotados de sentimentos. Gostava que as pessoas tivessem essa noção. Talvez assim não tivesse acontecido a tragédia no canil de Santo Tirso.

Não vi qualquer reportagem, não posso opinar muito. Mas basta terem morrido dezenas de animais para eu sentir um aperto no peito e uma sensação de injustiça.

Se fosse a eléctrica e feliz Bela! Hoje não estaria a ser acolhida e, decerto, amada.

Respeitem o mundo que é de todos. Mesmo de todos.

M

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

  • 03 de Setembro de 2020

    03 Setembro, 2020

      Querido diário, coloquei uma intenção no Universo e quero muito acreditar nela! Aliás (...)

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub