Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma mulher feliz

Diário de uma mulher feliz

12 de Outubro de 2020

Querido diário,

e quando tens certezas... Elas são abaladas. O destino dá-te um abanão. Na sexta não comecei a trabalhar por razões que pouco importam. Mas o que importa é que não foi o medo e que as oportunidades de trabalho estão aí.

Estou com mais tempo, pois estou à espera de respostas, então tenho mil ideias de mil tempestades e bonanças. Riso. Como sou de ondas!

O Paulo acompanha tudo com fé e serenidade. A paz que encontrei nele e que ainda me é difícil encontrar em mim. Mas cá tento, da minha forma.

Amanhã tenho intenções de ir à missa. Não vou pedir. Vou agradecer. Pelo Paulo, pela minha irmã, pela Sofia, pela D. Fátima, pelos meus pais, pelo sol, por tudo. Por tudo o que me incendeia e ainda me faz vibrar. Não quero voltar à dor. À depressão. 

Ainda existe festa dentro de mim, querido diário.

Tenho pensado muito na Dra Marta. Fantástica terapeuta. Mas eu acho que isto acontece com todas as minhas relações, seja qual o tipo for, apego-me e depois sinto-me triste quando percebo que a relação não é recíproca. Nunca mais soube dela. Não podemos ser amigas. Ou ela seguir o meu blog. Sinto que nunca acreditou verdadeiramente em mim. Não desceu aos meus demónios comigo, como dizia. É excelente. Não lhe tiro o mérito de me ter salvo. Só não ficou como pensei que ficaria. Seria justo também para ela? Acharia ela que era a altura de nos separarmos terapeuticamente? Nunca saberei.

Boa noite

M

07 de Outubro de 2020

Querido diário,

Existem dias que são como murros no estômago. Hoje eu e o Paulo descemos das nuvens pois percebemos a realidade: não somos prefeitos! Nem como casal, nem como pessoas. Não existe perfeição e é aí que reside o encanto. 

Sentamo-nos na cama, um pouco frustrados, com uma dose de medo de perder, mas falamos sem tabus. Sem muralhas. E foi aí que senti-me ainda mais perto dele. Resolvemos (pois tudo tem solução) e os "meus" olhos cor de mar voltaram a brilhar.

Percebi igualmente a importância dos erros passados e foi tão bom errar antes e não agora. Não cair no mesmo! Saber usar esses "descuidos" a meu favor. 

Sou certamente uma mulher mais feliz desde que conheço o Paulo e, quanto mais o percorro, mais feliz sou. Mas não só pelo que acrescenta, mas pelo que me ensina. Não impõe. Não exige. E eu livremente cresço. Todos os dias me sinto mais mulher. Mais autêntica. Mais capaz.

E por falar em capaz, querido diário, mudei de trabalho. Começo na sexta-feira. Primeiro voltei a dramatizar. Depois percebi que na vida temos que facilitar. Relaxar. E deixar fluir. E sinto isso mesmo, entrei no modo "fluir". Seja como o Universo quer que seja. Cabe-me dar o meu melhor, de resto, não poderei fazer mais nada. Por isso porquê sofrer? Porquê? Para quê? Relaxar, é a palavra de hoje.

R-E-L-A-X-A-R

M

 

a876a07b-546a-4757-994b-37aa24d92f40.JPG

 

 

20 de Setembro de 2020

B02FC9E5-3A17-498F-A78C-9C16C4E2D3E7.jpeg

 

Querido diário,

sem dúvida o amor resgata-nos. Seja qual o tipo de amor que for! 

A madrugada de sexta foi terrível para mim. Desci ao lado mais negro de mim, raspei as paredes, berrei a Deus! Pedi a morte em silêncio enquanto ele me olhava com ternura. 

Não encontro uma resposta. Ou melhor, existem várias hipóteses que não estou preparada para partilhar! A verdade é que o Paulo esteve ao meu lado até eu cair exausta e de lágrimas no rosto.

Sermos vulneráveis ao pé de quem amamos é um ato de coragem. Não tenham dúvidas. Mas ser vulnerável ao lado dele, quase, pela primeira vez. Deixou-me insegura. Absolutamente perdida por um sábado que passei a curar a dor. Passei-o a dormir ao lado dele, quando não era esse o combinado. Mas mais uma vez a sua inteligência emocional fê-lo ficar a contemplar-me enquanto dormia da dor.

Quando finalmente repus energias só tive vontade de o tocar e sentir. Um fervor que não sei de onde veio mas que sarou qualquer ferida que eu tinha. Um amor milenar, como já referi. 

Ele é a minha pessoa, estou em casa. Dia 1000000000000♥️✨

M

 

 

29 de Julho de 2020

Querido diário,

não te escrevo à algum tempo! Como já disse sou um mundo de emoções e estados de espírito. Tenho aliviado a carga dizendo a mim mesma que não faz mal. Que tudo está bem. Que tudo está certo. Que tudo está no sítio correcto.

Mas nem sempre está e eu tenho que me manter firme e convicta que no fim do dia chego a casa. Rodeio-me de amor. De gestos de compaixão do mundo. (Que palavra tão linda).  De palavras de amor das minhas pessoas.

Estive na Ericeira a passar um fim-de-semana, querido diário. Senti-me tão envolvida pelo mar, pela sua imensidão, pela sua frescura. Deixei-me ir. E às vezes não é tão só isso? Deixarmo-nos ir? Aprendermos a gostar de nossa companhia e logo, conseguimos, mais facilmente, desfrutar mais da de uma outra pessoa.

Sim estou apaixonada. Intensamente apaixonada. Ele é o "culpado" da minha carga pessoal estar cada vez mais aliviada, mas também (e muito) eu. Porque sem mim, ninguém nem nada pode fazer algo. 

Gostava de te deixar algumas fotografias para documentar mas o telemóvel avariou.

Deixo-te a sensação a uma tarde de verão no mar da Ericeira <3

M

14 de Julho de 2020 - II Parte

Meu querido diário,

é a segunda vez que te falo hoje. Mas que dia ambíguo! Acordei cansada, mas com tanto amor no coração. Acabei o dia exausta e com o coração inseguro. Sim uma mulher feliz também pode vacilar. Não há mal em ser vulnerável. Só os fortes são capazes.

Hoje as roupas não serviam o meu corpo. Era eu quem servia as roupas. Olhava-me e via-me disforme. Que pecado! Como a minha terapeuta verbalizou "Não andamos para trás, no máximo estagnamos". E foi isso mesmo, estagnei hoje. Sobrevivi. Em vez de deixar o sol bater-me nas sardas. Vesti a roupa mais larga que tenho, com medo das minhas formas. São tão belas, eu sei. Foi preciso falar contigo, meu querido, para me sentir aliviada. És o meu novo amigo e espero que estejam a gostar de nos ler.

A aceitação do corpo na vida é um processo diferente para todas as pessoas. Para mim é um espaço de tempo que dura desde sempre. Agora, aos 32 anos estou perto de me sentir mais plena. Mais feliz.

O amor que sinto que o meu namorado tem comigo, como espelho, ajuda e muito. A aceitação do outro não deve ditar a nossa vida, mas é tão bom quando alguém nos aceita como somos. Com as nossas imperfeições. Com as nossas particularidades. E mais. Quando com o passar dos dias parecem cada vez mais apaixonados pela nossa luz, que vêem através de uma sombra. Que já falei, cá está e estará, mas é cada vez mais dominada.

Quanto mais falo contigo meu querido diário, melhor me sinto. Estou a ouvir uma música cantada pelo Salvador Sobral e o António Zambujo - "Só um beijo". É uma óptima forma de ainda hoje voltar ao meu centro. Pois há dentro de nós sempre um lugar de salvação. Onde somos pais, irmãos, amigos de nós próprios. E sem "pena" de nós próprios cuidamos da nossa essência.

Uma boa noite,

M

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

  • 15 de Outubro de 2020

    15 Outubro, 2020

    Querido diário, a  aceitação do corpo ainda é um tema difícil para mim. Tem os seus (...)

  • 12 de Outubro de 2020

    12 Outubro, 2020

    Querido diário, e  quando tens certezas... Elas são abaladas. O destino dá-te um abanão. (...)

  • Para ti meu amor

    07 Outubro, 2020

    Meu amor, porque mereces todos os dias uma ou duas palavras que te encham a alma. Índole (...)

  • 07 de Outubro de 2020

    07 Outubro, 2020

    Querido diário, Existem dias que são como murros no estômago. Hoje eu e o Paulo descemos (...)

  • 24 de Setembro de 2020

    24 Setembro, 2020

    Querido diário, há  momentos em que queremos desesperadamente fugir. Não é preciso ter (...)

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D